Inscreve-te como Dador de Medula Óssea

Principais Condições para seres Dador:
- Ter entre 18 e 45 Anos /Peso mínimo de 50Kg /Ser saudável/ Nunca ter recebido transfusões
O que se faz na incrição de Dador:
- Apresentar B.I/cartão de Cidadão/Preencher formulário disponível no local/Pequena colheita de sangue (20ml)
Nota: Não necessitas de estar em jejum
Locais onde podes doar:
CENTRO DE HISTOCOMPATIBILIDADE DO NORTE
(2ª a 6ª feira das 9h às 17h30,sem interrupção de hora de almoço)
R. Dr. Roberto Frias (Pavilhão Maria Fernanda)
4200-467 Porto /Tlf. 22 557 34 70
CENTRO DE HISTOCOMPATIBILIDADE DO SUL
(2ª a 5ªfeira das 8h às 16 horas, 6ªfeira das 8h às 15 horas)
Alameda das Linhas de Torres, 117
1769-001 Lisboa / Tlf. 21 750 41 00
CENTRO DE HISTOCOMPATIBILIDADE DO CENTRO
Praceta Professor Mota Pinto, Apartado 9041
3001-301 Coimbra / Tlf. 23 948 07 00
Para mais informações, podes enviar um email para: carmenzitapine@hotmail.com

domingo, 3 de março de 2013

6 meses sem ti...


Partiste cedo



Partiste cedo
À procura do sossego
Que dia após dia
Cada vez mais te fugia.
Partiste cedo,
Farta de tanta injecção
De tanto tempo internada
Se calhar cansada
Daquela vida
Que te era prometida
E sempre adiada.

Partiste cedo
Sem haver tempo
Para nos deixares
Um dos teus OLÁ
Ou dizeres adeus.
Correste rápida
A caminho dos céus,
Levando contigo
Rosas de felicidade,
Deixando comigo
Os espinhos da saudade.

Partiste cedo
Sem aviso prévio,
Assim de repente,
Até talvez contente,
Por finalmente teres
Um pouco de paz,
O fim de horas más
Que a gente tentou,
Mas não foi capaz
De tornar diferente. 

Partiste cedo
Quase em segredo,
E deixaste-nos aqui
Como no degredo
Cumprindo afinal
Esta pena capital
De termos apenas
Recordações de ti,
Na falta de abraços
E do suave toctoc
Dos teus passos.

Partiste cedo
Demasiado cedo
No meu entender.
Nem deu sequer
Para a gente prender
A ternura docinha
Que o teu beijo tinha.
Partiste e deixaste-me
A penar a solidão,
A guardar o vazio
Que há no meu coração.

Partiste cedo,
Ou será que partiste
Quando te sentiste
Assim tão mais triste
Que já nem conseguiste
Sequer me sorrir
E achaste melhor,
Simplesmente partir
MEU DOCE AMOR.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

3 meses...90 dias!

3 MESES... 90 DIAS! 

É uma data que marca todas as nossas diferenças, Princesa.
Algumas vezes conseguimos os sorrisos, sempre que encontramos, aqui e ali, os pequenos sinais que acreditamos nos mandas, para ajudar a aliviar este nosso sem d

estino.
Outras (muitas) conseguimos apenas a tristeza, pelo tempo demasiado curto que nos deram.


Faz hoje 3 meses. 90 dias. É uma data. Mas passarão 3 anos, 3 séculos, 90 milhões de anos.
Serão todos os dias e todas as noites. Serão todos os segundos, todos os minutos, todos os momentos, mesmo os mais pequeninos.
Passará este mundo, outro novo virá, viveremos em Marte ou na Lua, mas nunca nos esqueceremos de ti... ♥

domingo, 4 de novembro de 2012

3Nov.2012 - 2 meses se passaram...

Às vezes

 
Às vezes
Quando a lágrima espreita
Lá dentro do meu coração,
Fecho os olhos num repente,
E faço o possível por recordar
Tudo o que partilhei contigo.

Às vezes
Quando o corpo se deita,
E se espreguiça na solidão
Que nos invade a mente,
Tento de imediato me embrulhar
No teu abraço tão terno e amigo.

Às vezes
Quando a angústia mais forte
Sobe lá do fundo cá para cima,
Olho para uma tua fotografia
E imagino-te à minha frente
Dizendo-me: não fiques assim.

Às vezes
Quando parece que a sorte
Nos abandonou, e o clima
Vai piorando ao longo do dia,
Sinto o beijo que avidamente
Eu te pedia dia sim, dia sim.

Às vezes
Quando o nosso olhar se turba
Com nuvens negras do presente,
Tento ver o Sol do passado,
O que junto de ti parecia ter
Outra côr, um brilho diferente.

Às vezes
Quando o silêncio perturba,
E todo o mal que se sente
Parece ainda mais pesado,
Recordo a tua maneira de ser,
Que foi incentivo pra tanta gente.

Às vezes
Quando a mão se estende
Para este gigantesco vazio
Com que a vida se encheu,
Lembro tudo o que passaste,
Sempre cum sorriso a brilhar.

Às vezes
Quando já nada se entende,
E o nosso corpo treme de frio
Só de abraçar algo que era teu,
Agarro-me às asas que ganhaste,
E vou por aí contigo passear.

 De todos nós para ti,
aos 3 de Novembro de 2012

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Halloween sem a Princesa...

Hoje celebra-se mais um dia festivo que a nossa Princesa tanto adorava: o Halloween! 

E como tu gostavas de enfeitar toda a casa, com aboboras, fantasminhas, morcegos...pregar alguns sustos a todos nós que assistiamos com alegria a tua boa disposição!



Sentimos muito a tua falta, minha linda bruxinha!

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Um mês já passou... :(

A três de Setembro partiste
Levando contigo a felicidade.
Deixaste em todos nós saudade,
E a vida alegre se fez assim...triste.

  

Amanhã, dia 3 de Outubro será celebrada missa do mês na Igreja da Nossa Senhora da Boavista ao Foco, pelas 19 horas.



sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Saudades da Princesa Cá...

Saudades da Princesa Cá e das suas invenções...

video

Fazes-nos muito falta!
Eras especial... eras única.... 

terça-feira, 11 de setembro de 2012

"Ausência" (Poema do Pai Paulo para a Cá)

AUSENCIA


Sinto a tua falta
Nas pequenas coisas que fazemos
Há sempre algo que me faz lembrar de ti.
O pormenor que inventavas na altura
Para dar mais côr à brincadeira
Qu estavamos a fazer,
O improviso da canção
Que te saía sem grande esforço.

A vida ao pé de ti
Tinha de ser diferente.
Tinha de ter aquela alegria,
Aquele sorriso especial         
Que em ti era tão natural.
O improviso que acontecia
Sempre que o Mundo se abria
À tua impresssionante magia.

Sinto falta de ti
Como se sente falta
Da água que nos mata a sede
Ou do pão que nos sacia a fome.
Sinto falta de ti
Como de um remédio miraculoso
Que nos cura aquela dor
No joelho que foi operado.


Foi um privilégio poder
Gozar todo este curto tempo
Da tua companhia,
Da tua maneira diferente de ser,
Do teu modo de estar no Mundo
Em que tantas vezes sofrendo
A tortura dos tratamentos
Soubeste sempre dar sentido
À vida de cada um de nós.

Lá onde estás agora
Vais conseguir com certeza
Inventar tudo aquilo
Que não houve tempo
De criar aqui junto de nós.
Vais conseguir atingir a perfeição
Do que já era perfeito.
Interpretar os teus teatros,
Cantar as tuas canções favoritas.

Lá onde quer que estejas
Sê MUITO FELIZ,
Goza cada momento
Como se não houvesse
Mais nenhum a seguir,
E não te esqueças de todos nós
Que aqui vamos chorando
Cada um à sua maneira
A dor da tua ausência,
Que não terá nunca fim.


Do teu Pai que te continua a amar muito




                        Algures no Gerês,
                        aos 8 de Setembro de 2012